Archive | Apontamentos RSS feed for this section

Processos de formação de palavras

16 Mai

Processos de formação de palavras

 

A. Processos morfológicos de formação de palavras

A língua portuguesa é constituída por:

• palavras simples, que são formadas por um único radical (que pode ou não conter afixos de género, número, tempo e modo).

Ex.: criança     estudar    rico

• palavras complexas, que são formadas por derivação ou por composição. Ex.: felizmente      fotografia

1. Derivação

1.1. Por afixação

Processo de formação de palavras que consiste no acrescento de um afixo à forma de base (radical a partir do qual se formam novas palavras). As palavras podem ser derivadas por:

• prefixação (associação de um prefixo a uma forma de base) Ex.: i + legal > ilegal

• sufixação (associação de um sufixo a uma forma de base) Ex.: legal + mente > legalmente

• prefixação e sufixação (associação de um prefixo e de um sufixo a uma forma de base) Ex.:  i + legal + mente > ilegalmente

• parassíntese (associação simultânea de um prefixo e de um sufixo a uma forma de base, não podendo nenhum deles ser retirado)

Ex.:   en + surdo + ecer > ensurdecer

en + surdo    > *ensurdo

surdo + ecer >  *surdecer

1.2. Derivação não afixal

Processo de formação de palavras que consiste na criação de nomes a partir de um radical verbal.

Ex.: cortar > o corte              trocar > a troca                intrigar > a intriga

regar > a rega                       tocar > o toque                ganhar > o ganho

 

2. Composição

2.1. Composição morfológica

Processo de formação de palavras que consiste na associação de dois ou mais radicais ou de um radi­cal e de uma palavra. Esta associação é feita, quase sempre, através de uma vogal de ligação: -i- ou -o-.

Ex.: herbívoro > radical (herb) + vogal de ligação (i) + radical (voro) fisioterapia > radical (fisio) + palavra (terapia)

Nota: Nos compostos morfológicos, a flexão de género e de número recai sempre sobre o último elemento. Ex.: herbívoro > herbívora/herbívoros

luso-brasileiro > luso-brasileira/luso-brasileiros

2.2. Composição morfossintática

Processo de formação de palavras que consiste na associação de duas ou mais palavras.

Ex.: homem-aranha    trabalhador-estudante    tira-nódoas

 

 

Nota: Nos compostos morfossintáticos, a flexão de género e de número não segue sempre a mesma regra:

– há compostos em que apenas o primeiro elemento tem flexão em número e, se possível, em género;

Ex.: homem-aranha > mulher-aranha > homens-aranha > mulheres-aranha

bomba-relógio > bombas-relógio

– há compostos em que ambos os elementos têm flexão em número e, se possível, em género;

Ex.: surdo-mudo > surda-muda  > surdos-mudos > surdas-mudas saia-casaco > saias-casacos

– há compostos em que apenas o segundo elemento tem flexão em número e em que a flexão em género é feita através de um determinante artigo definido.

Ex.: (o) porta-voz > (a) porta-voz > porta-vozes

Alguns exemplos de palavras derivadas por parassíntese e de palavras compostas

 

 

PALAVRAS DERIVADAS

PALAVRAS COMPOSTAS

Parassíntese

Compostos

morfológicos

Compostos

morfossintáticos

abotoar

 

afro-luso-brasileiro abre-latas
adoçar

 

biblioteca aluno-modelo
afugentar

 

biologia apanha-bolas
afunilar

 

caligrafia apara-lápis
ajoelhar

 

cardiopatia autor-compositor
amanhecer carnívoro bomba-relógio

 

anoitecer claustrofobia café-bar

 

apadrinhar

 

cronometro

 

conta-gotas

 

apedrejar democracia

 

crocodilo-fêmea

 

apodrecer demografia

 

empresa-fantasma

 

aterrorizar

 

ferroviária

 

garrafa-termo

 

emagrecer

 

fotografia

 

governo-sombra

 

embarcar

 

geografia

 

guarda-joias

 

embelezar

 

hemograma

 

homem-aranha

 

embirrar

 

herbicida

 

homem-bomba

 

empalidecer

 

herbívoro

 

homem-rã

 

emparedar

 

homicida

 

lava-louça

 

empobrecer

 

ludoteca

 

médico-dentista

 

encarecer

 

luso-brasileiro

 

mulher-polícia

 

endoidecer

 

lusodescendente

 

notícia-bomba

 

enfraquecer morfossintático

 

peixe-espada

 

engordar

 

ortografia

 

pisa-papéis

 

enlouquecer

 

ortopedia político-fantoche

 

enriquecer

 

pesticida porta-chaves

 

ensurdecer pirotecnia

 

porta-voz

 

entristecer

 

político-cultural

 

rádio-gravador

 

envelhecer

 

psicologia

 

saia-casaco

 

esbracejar

 

radiografia

 

surdo-mudo

 

esclarecer

 

tecnocracia

 

tira-nódoas

 

esfriar termómetro trabalhador-estudante

 

espernear tragicomédia tubarão-martelo

 

 

B. Processos irregulares de formação de palavras

1. Sigla – palavra formada pelas letras iniciais de um conjunto de palavras,  pronunciadas letra a letra.

Ex.: PSP – Polícia de Segurança  Pública      BTT- Bicicleta Todo o Terreno

2. Acrónimo – palavra formada a partir da junção de uma ou mais letras iniciais ou sílabas de várias palavras e que se pronuncia como uma palavra só.

Ex.: FAOJ – Fundo de Apoio às Organizações Juvenis FENPROF – Federação Nacional de Professores

 

 

3. Empréstimo – processo que consiste na adoção de palavras de outras línguas. Ex.: croissant (palavra importada da língua francesa) skate (palavra importada da língua inglesa)

4. Truncação – processo que consiste na criação de uma nova palavra pela omissão de parte da palavra de que deriva.

Ex.: foto – fotografia

manif – manifestação

Zé – José

hiper – hipermercado

5. Onomatopeia – palavra que reproduz um determinado som (produzido por objetos, animais, fenómenos naturais…). Ex.: quá-quá (pato) • trriim (despertador) * cocorocó (galo)

6. Amálgama – processo que consiste na criação de uma palavra a partir da fusão de dois vocá­bulos.

Ex.: informática – informação + automática                 cibernauta – cibernética + astronauta

 

fonte: (Para)textos 7º ano da Porto Editora

Texto dramático – características

16 Mai

1. ACÇÃO (desenrolar dos acontecimentos, através do diálogo e da movimentação das personagens)
1.1 Estrutura Interna
• Exposição (apresentação das personagens e dos antecedentes da acção)
• Conflito (sucessão dos acontecimentos que constituem a acção teatral)
• Desfecho (desenlace da acção)

1.2 Estrutura Externa
• Acto (divisão maior do texto dramático, quando decorre num mesmo espaço)
• Cena (divisão do acto determinada pela entrada ou saída de personagens)

2. PERSONAGENS (agentes da acção)

2.1 Classificação quanto ao relevo/ importância
• Principal ou protagonista (desempenha um papel de maior importância)
• Secundária (desempenha papéis de menor relevo)
• Figurante (não desempenha qualquer papel específico, embora a sua existência
seja importante para a compreensão da acção)

2.2 Tipo de retrato
• Físico (aspecto exterior, fisionomia, vestuário,…)
• Psicológico (traços da personalidade, maneira de ser)

2.2 Processos de caracterização
• Directa (através de palavras da personagem acerca de si própria, de palavras de
outras personagens, de afirmações do narrador)
• Indirecta (deduções do leitor acerca da personagem, a partir de atitudes ou
comportamento da mesma)

3. ESPAÇO (local onde decorre a acção; no texto teatral, corresponde ao espaço de
representação)

4. TEMPO (o tempo da acção normalmente corresponde ao da representação)

5. MODALIDADES DO TEXTO DRAMÁTICO

5.1 Discurso Dramático (texto principal constituído pelas “falas” das personagens)
• Diálogo (conversa entre personagens; dá à acção mais vivacidade e
autenticidade)
• Monólogo (quando a personagem fala sozinha)
• Aparte (quando a personagem fala para o público, não querendo que as outras
personagens a ouçam)

5.2 Indicações Cénicas ou Didascálias (texto secundário constituído pelas informações
do autor sobre os gestos, a entoação e a movimentação das personagens, o cenário, o
guarda-roupa, a luz, o som, etc.)

6. Tipo de texto
• Comédia
• Tragédia
• Farsa
7. INTENÇÃO DO AUTOR AO CONCEBER A PEÇA (lúdica, didáctica e/ou crítica)
8. OPINIÃO DO LEITOR
Actualidade ou anacronismo do tema

pontuação – principais sinais

16 Mai

fonte: http://www.priberam.pt

Quanto ao ponto:

O ferro é um dos metais mais úteis. Os factos devem narrar-se na sua ordem natural. O ar das montanhas tonifica.

Como se vê, o ponto final indica o fim duma frase ou o fecho dum pensamento, com inflexão de voz que denota pausa absoluta. Emprega-se ainda nas abreviaturas:

Ex.: Sr. (por Senhor); Dr. (por Doutor); D. (por Dom ou Dona); V. Ex.ª(por Vossa Excelência); m.to (por muito).

Continuar a ler

verbo haver conjugado

16 Mai

fonte: http://www.priberam.pt

Conjugação do verbo: haver

Indicativo
Presente Pret. Perfeito Pret. Imperfeito Pret. Mais-Que-Perfeito Futuro
hei
hei-de
hás
hás-de

há-de
havemos
haveis
hão
hão-de
houve
houveste
houve
houvemos
houvestes
houveram
havia
havias
havia
havíamos
havíeis
haviam
houvera
houveras
houvera
houvéramos
houvéreis
houveram
haverei
haverás
haverá
haveremos
havereis
haverão
Conjuntivo Infinitivo
Presente Pret. Imperfeito Futuro Pessoal Impessoal
haja
hajas
haja
hajamos
hajais
hajam
houvesse
houvesses
houvesse
houvéssemos
houvésseis
houvessem
houver
houveres
houver
houvermos
houverdes
houverem
haver
haveres
haver
havermos
haverdes
haverem
haver
Condicional Imperativo Gerúndio Particípio Passado
Afirmativo Negativo (não, nunca)
haveria
haverias
haveria
haveríamos
haveríeis
haveriam

haja
hajamos
havei
hajam
hajas
haja
hajamos
hajais
hajam
havendo havido

 

verbo ser conjugado

16 Mai

 

fonte: www. priberam.pt

Conjugação do verbo: ser

Indicativo
Presente Pret. Perfeito Pret. Imperfeito Pret. Mais-Que-Perfeito Futuro
sou
és
é
somos
sois
são
fui
foste
foi
fomos
fostes
foram
era
eras
era
éramos
éreis
eram
fora
foras
fora
fôramos
fôreis
foram
serei
serás
será
seremos
sereis
serão
Conjuntivo Infinitivo
Presente Pret. Imperfeito Futuro Pessoal Impessoal
seja
sejas
seja
sejamos
sejais
sejam
fosse
fosses
fosse
fôssemos
fôsseis
fossem
for
fores
for
formos
fordes
forem
ser
seres
ser
sermos
serdes
serem
ser
Condicional Imperativo Gerúndio Particípio Passado
Afirmativo Negativo (não, nunca)
seria
serias
seria
seríamos
seríeis
seriam

seja
sejamos
sede
sejam
sejas
seja
sejamos
sejais
sejam
sendo sido

verbo ter conjugado

16 Mai

Conjugação do verbo: ter

Indicativo
Presente Pret. Perfeito Pret. Imperfeito Pret. Mais-Que-Perfeito Futuro
tenho
tens
tem
temos
tendes
têm
tive
tiveste
teve
tivemos
tivestes
tiveram
tinha
tinhas
tinha
tínhamos
tínheis
tinham
tivera
tiveras
tivera
tivéramos
tivéreis
tiveram
terei
terás
terá
teremos
tereis
terão
Conjuntivo Infinitivo
Presente Pret. Imperfeito Futuro Pessoal Impessoal
tenha
tenhas
tenha
tenhamos
tenhais
tenham
tivesse
tivesses
tivesse
tivéssemos
tivésseis
tivessem
tiver
tiveres
tiver
tivermos
tiverdes
tiverem
ter
teres
ter
termos
terdes
terem
ter
Condicional Imperativo Gerúndio Particípio Passado
Afirmativo Negativo (não, nunca)
teria
terias
teria
teríamos
teríeis
teriam
tem
tenha
tenhamos
tende
tenham
tenhas
tenha
tenhamos
tenhais
tenham
tendo tido

fonte: http://www.priberam.pt

verbo dormir conjugado

16 Mai

Conjugação do verbo: dormir

Indicativo
Presente Pret. Perfeito Pret. Imperfeito Pret. Mais-Que-Perfeito Futuro
durmo
dormes
dorme
dormimos
dormis
dormem
dormi
dormiste
dormiu
dormimos
dormistes
dormiram
dormia
dormias
dormia
dormíamos
dormíeis
dormiam
dormira
dormiras
dormira
dormíramos
dormíreis
dormiram
dormirei
dormirás
dormirá
dormiremos
dormireis
dormirão
Conjuntivo Infinitivo
Presente Pret. Imperfeito Futuro Pessoal Impessoal
durma
durmas
durma
durmamos
durmais
durmam
dormisse
dormisses
dormisse
dormíssemos
dormísseis
dormissem
dormir
dormires
dormir
dormirmos
dormirdes
dormirem
dormir
dormires
dormir
dormirmos
dormirdes
dormirem
dormir
Condicional Imperativo Gerúndio Particípio Passado
Afirmativo Negativo (não, nunca)
dormiria
dormirias
dormiria
dormiríamos
dormiríeis
dormiriam
dorme
durma
durmamos
dormi
durmam
durmas
durma
durmamos
durmais
durmam
dormindo dormido

fonte: http://www.priberam.pt

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 60 outros seguidores

%d bloggers like this: